15 de outubro de 2013

Porque Sou A FAVOR da Pena de Morte


A pena de morte é um assunto um tanto “polêmico”. Vejo muita gente ser contra mas, quando a vítima é alguém próxima ou por alguma causa que a pessoa se identifique, estas mesmas pessoas que eram contra a pena de morte passam a ser a favor.

Antes de lançar mão nos argumentos a favor da pena de morte, gostaria de contextualizar vocês com o que me inspirou a fazer esse post. Uma espécie de “introdução”.

|| Casal de Jovens Irmãos “Assassinados” ||

Na cidade de Salvador-Ba, no último final de semana (mas especificamente na sexta-feira - 11/10/2013) um casal de irmão morreu BARBARAMENTE em um acidente envolvendo um carro e uma moto, nesta estavam os dois irmãos que faleceram.

Na real, ninguém sabe ao certo o que aconteceu. O fato é que a notícia começou sendo divulgada como um “acidente” e depois se tornou um homicídio que já está tendendo a um homicídio doloso.

Vejam o caso nos links abaixo:
- Casal de irmãos morre ao bater contra poste em frente a hotel em Ondina
- Médica envolvida em acidente que matou irmãos está sob custódia em hospital
- Médica perseguiu irmãos em moto e vai responder por duplo homicídio, diz delegada
- Vídeo mostra momento em que médica persegue casal de irmãos em Ondina

Não é o momento de expressar minha opinião sobre este caso agora. Caso os leitores do Moral Brasileira se interessem, posso fazer outra postagem dando minha opinião. Já adianto que acredito que haja um oportunismo imenso da mídia (principalmente pelo fato da motorista do carro ser médica - "rica” - e o fato de haver uma tentativa de manchar imagem de médicos no Brasil).

|| Desenrolando ||

O crime relatado anteriormente, SE FOI do jeito que estão pintando, é um crime bárbaro e a pessoa deve sim ser punida por esse seu ato. E, se não foi como estão pintando, que a justiça seja feita.

O fato que esse fato gerou uma “revolta” fora do normal. Acontecimentos parecidos já ocorreram aqui e a repercussão na mídia não foi tão grande, assim como a resposta do público não foi tão “revoltada”. Os primeiros movimentos foram para fazer uma MANIFESTAÇÃO contra “A MÉDICA”. Manifestações neste caso são normais por parte de familiares e amigos, que buscam justiça, mas não de uma “massa”. Até entendo que o povo está de saco cheio de tudo e qualquer coisa é motivo para se manifestar, mas vamos ponderar.

Ontem, porém, comecei a ver movimentações pedindo A MORTE DA MOTORISTA DO VEÍCULO. Pessoas que até então eram CONTRA A PENA DE MORTE, por um fato desses, passou a ser a favor? Assim, fiz o seguinte comentário no meu perfil pessoal do Facebook:

“Sério que agora estão falando em pena de morte para o caso dos 2 jovens atropelados na Ondina?

Quando eu falo de pena de morte para LATROCIDA REINCIDENTE, TRAFICANTE, ASSASSINOS FRIOS e coisas do tipo, acham exagero. Quando falo de penas definitivas para PEDOFILOS e ESTUPRADORES, também acham exagero.

Agora, um caso (bárbaro sim e que deve ser punido) como o recente dos dois jovens...

Estão realmente perdendo o senso das proporções. Estão relativizando tanto as coisas, estão deixando as coisas tão associadas a sentimentos pessoais e momentâneos, que o bom senso foi pro saco.

E não me venham dizer que isso foi assassinato a sangue frio, pois NÃO FOI.

JUSTIÇA, o que é isso? O que é "ser justo" ou "fazer justiça"? Talvez... TALVEZ algum estudioso do ramo do direito possa me responder e me tirar dessa "escuridão da minha ignorância"...”

|| Porque Sou a Favor da Pena de Morte ||

Muitos (acho que todo mundo que me conhece) sabem que sou a favor da pena de morte para diversos casos, dentre eles: Latrocida Reincidente (quem mata para roubar), Traficante (que acaba com a vida de centenas/milhares de pessoas), “Assassinos Frios” (aquele que mata por prazer, nestes se inclui os Assassinos em Série, maníacos, pessoas que matam torturando por sadismo, etc...), fora outros casos mais particulares que se enquadrem no que citarei posteriormente.

Reparem que em todos esses casos, o delinquente não é um “coitado” ou sequer agiu por impulso, somente porque estava “fora de si”. Não se trata de pessoas que por algum momento “surtou” ou teve uma taxa muito alta de adrenalina. São indivíduos que “bagunçam” o meio social e que prejudica muitas outras vidas (chegando mesmo a ceifar vida de pessoas de bem).

Não se trata da Lei de Talião “Olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé” (Êxodo 21:24). Não se trata de devolver o crime na mesma moeda nem vingança. Não se trata de “acabar a violência com mais violência” ou “pagar uma vida com outra vida”.

O que está em jogo é o que estes indivíduos podem causar na sociedade e quantas pessoas eles podem afetar. Um latrocida, dificilmente será recuperado numa prisão, muitos inclusive ameaçam continuar fazendo e matar quem os denuncia. Um traficante continua seu “legado” de dentro da prisão mesmo, e não é apenas por causa da segurança dos presídios serem precárias. Um “maníaco” dificilmente será reformado. Será preciso quantas pessoas esse tipo de gente afetar para ser tomada uma providência? Bandidos estão ameaçando pessoas que os denunciam, dizendo que vão matar ou perturbar a vida de quem os denunciam ou casos que não "completaram o serviço".

“Ah! Dá a pena de prisão perpétua para ele e põe ele para trabalhar para se sustentar”. Esse é outro argumento de pessoas mais “moderadas”.

Vejo duas consequências claras nesse tipo de atitude:

A primeira delas, é fato e já ocorre (no Brasil não tem prisão perpétua, mas isso ocorre logo nas primeiras semanas). O problema é o fato desses “malucos” influenciarem, dominarem e corromperem outros dentro das prisões, fazendo os presídios de hoje serem mais uma “Universidade do Crime” do que um “reformatório”. E, não... Não é uma deficiência do Brasil ou de país subdesenvolvido... É algo inerente ao ser humano quando tem “mente vazia” e “pouca moral”. Infelizmente para esse caso podemos usar o ditado “Uma Laranja Podre faz Apodrecer o Saco Inteiro”.

A segunda consequência disso é a questão do TRABALHO FORÇADO, nos moldes dos Campos de Concentração Nazista e Soviéticos. Você simplesmente poderá “inventar” um crime e jogar a pessoa lá dentro para “trabalhar de graça”. Era mais ou menos isso que acontecia com os campos de concentração, não?

|| Conclusão ||

SOU A FAVOR SIM DA PENA DE MORTE! Mas sou a favor para os casos que irão afetar negativamente toda uma sociedade, para casos que a probabilidade de recuperação é praticamente nula. Se os “crimes menores”, os marginais alegam que quando saírem vão continuar fazendo tudo novamente, inclusive ameaçando as vítimas, imagine para esses casos mais sérios e que, podemos até dizer, há uma doença...

Evito usar o termo “doença” pois isso passa uma sensação de “coitadismo”, que não é o caso desse tipo de gente... Para encerrar, deixo uma analogia...

“Você tem um tumor cancerígeno num órgão do seu corpo. Para não perde o órgão completo ou até mesmo a vida, você abre mão daquele pedaço para que seu corpo possa continuar a viver sem maiores problemas. As pessoas são elementos da sociedade, as vezes é preciso eliminar indivíduos que são como um câncer, estimulando e influenciando outros prejudicando a vida de muitos de forma direta.”


8 comentários:

  1. Já que tocou no assunto dos campos de concentração: se aprovarmos a pena de morte só estaríamos nos aproximando desses regimes nazistas. Afinal, eles não consideravam os judeus "criminosos" e seres que mereciam a morte? Deveria pensar também na quantidade de pessoas inocentes que foram mortas. Já se imaginou no lugar delas, em ser condenado à morte por algo que não fez?
    E como a justiça faz nesses casos? Devolve a vida da pessoa? Paga indenização?
    Nenhum dos argumentos citados no post é realmente válido. Matar pessoas que cometeram um crime não tornaria o mundo um lugar melhor ou mais seguro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. quanta besteira deve ter familiar bandido pra falar uma imbecilidade destas.
      o Brasil nao vive regime de excecao nem de ditadura, portanto a perseguicao judaica nao vem ao caso e nem serve de exemplo.
      pena de morte é pra BANDIDO meliantes sem nenhuma cance de recuperacao, sujeitos escrotos reincidentes.
      No dia que topar com um sujeito destes voce muda de ideia na hora.

      Excluir
  2. Parabéns, vamos aluta então..

    ResponderExcluir
  3. Tenho certeza que morre mais pessoas inocentes nas mãos desses marginais. Que direito tem um indivíduo que tira a vida de um cidadão de bem para roubar por exemplo? Pena de morte seria a única maneira de inibir a criminalidade, além de reduzir os custos para se manter criminosos nas penitenciárias.

    ResponderExcluir
  4. PENA DE MORTE - LEIA, PENSE, DISCUTA

    Temos medo, aliás, verdadeira febre de humanismo, quando pensamos na possibilidade dos erros jurídicos que colocarão inocentes no corredor da morte.

    Pena de morte legal é quando o Estado, julga pelo bem da sociedade, condenar alguém que vivo, é uma ameaça.

    Nossa febre de humanismo é tão hipócrita que nos orgulhamos de não termos pena de morte legalizada, não temos prisão perpétua, não temos prisão por mais que 30 anos. A maioria das condenações só são cumpridas até 1/6 da pena. Temos sim, progressão de pena, indultos, auxílio prisão. E etc, etc e etc.

    Todo ser humano tem direito à vida. Ninguém tem o direito de tirar a vida de outrem a seu bel prazer, nem fazer justiça com as próprias mãos. Há que se dar a todo ser humano o direito de plena defesa, até a última instância. Há que se dar a todo ser humano o direito de provar sua inocência.

    Em 2012, 682 execuções foram realizadas no mundo em 58 países. Enquanto 43.700 brasileiros foram assassinados ou seja, sofreram a pena de morte. E nos orgulhamos de não termos pena de morte.

    A cada hora dois brasileiros são julgados sem critério legal, sem direito a defesa e sem misericórdia, sem direito a sequer, saber porque estão sendo mortos.
    No Brasil temos a mais cruel, injusta, infame e revoltante pena de morte. Instituída, pela impunidade. Sacramentada pela incompetência do sistema governamental nos três poderes. E defendida pela mais pura hipocrisia em todos os setores da sociedade.

    A maioria dos brasileiros vive a sensação da insegurança e do abandono. A maioria dos brasileiros tem a nítida impressão de que é governada por uma faminta quadrilha, bem organizada em partidos políticos, bem legalizada por um legislativo competente para nunca fazer as reformas de que o país precisa e bem calçada por um judiciário tão indiferente quanto incompetente, ou vice-versa.

    Mas, a sociedade brasileira vive enganada por um sistema de marketing eficiente, sempre bem pago para mostrar que vivemos em um país seguro, desenvolvido, bem educado, com a melhor saúde que se possa desejar. Com os olhos voltados para o circo. O circo da vez é a copa. Imediatamente depois, serão as eleições que confirmarão ou trocarão os atores do caus. Depois surgem outros.

    A hipocrisia sobre a pena de morte tem advogados ferrenhos, que vai do mais douto no assunto ao menos esclarecido. Todos preconizam que a pena de morte não vai resolver o problema da violência. Mostram países onde há pena de morte e a violência ainda persististe. Contudo, jamais ousam fazer comparações estatísticas, para verificar a realidade brasileira e da realidade desses países.

    Temos as mais “humanas” e mais modernas leis sobre o jovem e o adolescente. Aplaudidas pelo mundo inteiro. Sabemos, porém que o preço que pagamos por esta modernidade, é tão alto, quanto absurdo. Tão absurdo quanto revoltante. Diminuir a idade penal? Jamais, dizem os advogados a impunidade. Até parece que todos eles tem filhos bandidos que precisam ser protegidos contra a possibilidade da diminuição da idade penal.

    Os linchamentos são os crimes perpetrados por uma sociedade descrente no poder público, nas leis e nas autoridades. Os linchamentos são os gritos da descrença. Eles precisam ser contidos, precisam se combatidos, porém, jamais ignorados. Porque mostram uma sociedade abandonada. Sem governo, sem justiça e sem esperança.

    É inegável que temos pena de morte no Brasil, só não temos coragem para abrir os olhos e ver.

    Precisamos urgente de uma Assembleia Nacional Constituinte voltada para o problema da violência.

    Precisamos ter coragem para admitir e sair para uma discussão nacional em todos os níveis da sociedade, deixando fora, apenas os setores governamentais e partidos políticos.

    ResponderExcluir
  5. Desde o seculo XX surgiu um tal movimento de DIREITOS HUMANOS que a principio parecia uma coisa ótima, no papel tava tudo bonito pois desde a II guerra mundial se propunha a proteger refugiados de guerras e evitar futuros genocidios.
    Com o passar dos anos, estes caras ficaram sem muito servico pois acabou o nazismo, comunistas faziam o que queriam, Stalin matava a doidado e ninguem falava nada pois nao eram bestas... mas estes caras passaram a se intrometer nos países, em todos os paises da America Latina os governos se cagam todos quando ouvem falar de CDH uma comissao internacional de direitos humanos, mandam soltar presos que consideram "politicos" quando acham que a lei do país foi muito dura, quase sempre, terroristas de carteirinha vao pra rua soltos numa boa!
    No Brasil nao é diferente, o país é fraco internacionalmente se borra todo se algum destes organismos da ONU vem meter o pitaco citando chacinas como da Candelária ou do Carandiru e sao otimos pra apontar o defeito dos OUTROS, mas em grandes potencias como EUA ou Japao eles nao se metem a besta. Inclusive o Japao tem pena de morte, a China ativamente mata muitos presos alguns apenas por serem de ideologia partidaria diferente. Ironicamente a China com mais de 1 bi de habitantes é MAIS SEGURA QUE O BRASIL, coisa rara na China voce ouvir falar de homicidio, o problema é o regime sufocante do comunismo...
    Voce falar de pena de morte no Brasil aflora o sentimento do coitadismo e de pena de meliante que tem na sociedade brasileira sob esse ponto de vista, para eles todo bandido é um ser mal compreendido que entrou nessa apenas porque nao teve oportunidade de fazer coisa melhor. Mas se esquecem que nao estamos falando de bandido comuns, estamos falando de gente que é capaz de atrocidades, de um maniaco do parque, de um Nardoni capaz de matar a propria filha, de uma Suzane Richtofen que planejou a morte dos proprios pais.
    Seres como estes nao tem recuperacao, jamais terao, sao perigos a sociedade.
    A pena de morte tem por vantagem que nao existe reincidencia, corta-se o mal pela raíz, mas a desvantagem é que no sec. XXI estas entidades de Direitos Humanos tem poder politico muito forte, assim que nao é tao facil voce conseguir um negocio destes sem falar que em alguns momentos, algum juiz poderá se equivocar e mandar um inocente para o paredao!
    Os beneficios sem dúvida sao muito maiores que os problemas, mas nao vejo isso sendo aplicado no país possivelmente nunca seja aprovado.

    ResponderExcluir
  6. TOTALMENTE A FAVOR,PARA CRIMES HEDIONDOS

    ResponderExcluir